sábado, janeiro 22

Poeira

(Uma Galáxia (de infinitas): Cada pontinho é um Sol, e em cada Sol existem planetas. Estamos sós? Somos mesmo tudo no Universo?)

O Universo é o conjunto de tudo que se encontra dentro do Espaço e do Tempo, incluindo as galáxias, os sistemas solares, as estrelas, os planetas, enfim tudo que é matéria e energia.
Inúmeras galáxias existem no Universo, e em cada galáxia estão presentes quase infinitas estrelas, e ao redor das estrelas estão vários planetas e dentro de cada planeta existe um meio ambiente, que no caso da Terra comporta vida.
Os seres humanos possuem o dom da Vida, e são dentro deste sistema solar a criatura mais complexa e desenvolvida, possuem a razão, a capacidade de modificar o meio ao redor de acordo com suas vontades ou necessidades, e é também capaz de viver em sociedade afim de um interesse em comum.
As sociedades estabelecem padrões de aparência, comportamento, objetivos e necessidades que obrigam os seus constituintes a seguir o tal padrão afim de se encaixar e ser feliz no meio social, e assim crescer como pessoa, e sempre possuir coisas melhores e pessoas melhores ao redor.
Os seres humanos são cheios de defeitos como o Egoísmo, a Ganância, e a Intolerância, mas o pior de todos é a Soberba, de pensar que somos o centro do Universo e que tudo conspira para somente nos afetar. Impomos a presença de um Deus que seria exatamente esta força que nos afeta, e por medo veneramos tal presença. Porém se existe um Deus, ele é grandioso demais para se preocupar com os pensamentos e atitudes de um bocado de poeira encima de uma rocha humida.
O Grande Arquiteto do Universo, da Obra Cósmica, é senão o acaso, que de maneira misteriosa ordena todos os fatos ao mesmo tempo , e traçam o destino da existência para um Objetivo não menos misterioso e impossível de prever.
Não existe pecado, não existe milagre ou boa conduta, não existe certo nem errado, e temos a sorte de sermos apenas poeira, pois de caso contrario, se fôssemos mais grandiosos arrumaríamos briga com todo o resto do Universo, com certeza.

terça-feira, janeiro 18

Amor.

Para falar de sentimentos, primeiro precisamos compreendê-los, e é exatamente isso que os Poetas vem fazendo desde que inventaram a escrita, sem sucesso. Porém hoje eu pretendo conseguir! :P
Os sentimentos são as forças motrizes dos atos dos seres vivos, servem para advertir o corpo material de necessidades, afim de manter a vida. São faltas, excessos, situações e satisfações que determinam que sentimento você deve sentir, e eles obedecem um padrão, para sempre associarmos os sentimentos às mesmas experiências e para sempre conseguirmos lidar com tais experiências ligando o sentimento à memória e a memória aos atos.
Por exemplo, quando sentimos fome vem um mal estar, dor , irritação e até violência gratuita em alguns casos, tudo isso para o ser vivo associar estas sensações à necessidade de comer e então correr atrás da comida, e tem a raiva que seria nada mais nada menos uma preparação do corpo para uma possível briga pela sobrevivência.
Mas falando do lado humano e menos racional dos sentimentos, a origem de todos eles é uma só: O Amor!
O Amor é que origina todos os outros, o Amor é o tronco, e a amizade, a inimizade, a paciência, a raiva, o prazer, o bem estar e todo o resto são os galhos. Simpatia é quando a presença da pessoa não te ameaça em nada, Amizade é quando você ama estar com uma pessoa, e ama as sensações que a presença da pessoa te causam, a Paixão é uma amizade extremamente intensa e tudo culmina no Amor.
Mas e o Ódio? Como dizia Raul Seixas: "Não existe ódio, apenas a ausência de amor". O Ódio é o sentimento mais vazio de todos, e como um estômago vazio se auto-corrói, o ódio corrói por dentro. O Ódio está apenas em um lugar, dentro de você, e não afeta em definitivamente nada as pessoas que você odeia.
O Problema em compreender o Amor, é que ele é muito simples, simples demais. O Amor se perde em sua simplicidade quando tentamos enxergar uma estrutura complexa nele, mas o Amor só é entendido quando enxergamos sua verdadeira face, a sua pureza, como uma mármore sem forma, pronta para ser esculpida. O Amor somente é, o Amor se auto-explica, o Amor... é!
Palavras apenas, são palavras pequenas... O Amor só é transmitido com um conjunto de atos, de olhares, movimentos, palavras e demonstrações, e é assim que se traduz um sentimento. Impossível é transformar o Amor em metáfora, ele é simples de mais.
Mas as tentativas de traduzir o Amor em palavras são lindas em si, e são únicas e inesquecíveis.
"Simples? Eu acho tão complexo e ao mesmo tempo tão lindo!"
Hahahaa Entendeu Paty?

Novas postagens!

Atualizando aqui, depois de um tempão sem escrever nada. Peço desculpa a quem acompanhava o Relativo, mas eu vou explicar oque aconteceu: Eu estava estudando para os vestibulares e me concentrando em outras coisas, e estava sem cabeça para filosofar.
Porém, eu voltei! (\o/) E o Próximo Post vai recuperar o tempo perdido, prometo. Obrigado.
Guaraldo!