sexta-feira, outubro 15

Ponto de Vista

Foi um fragmento de manequim (eram nádegas de manequim pregadas na parede!) que serviu de gatilho, para ativar uma idéia que tenho há dias! Registrar meu ponto de vista de cenas cotidianas, minhas filosofagens e filosofias sobre tudo que se vê na rua, as pessoas as casas as lojas e produtos, o modo de falar e de vestir, de comportar e agir.
Estava num ônibus, penúltima cadeira, em meio ao Largo de Osasco. Talvez seja o lugar que mais me fascina por ser tão ambíguo, e contrastante, pois ao mesmo tempo que é sujo, saturado de pessoas propagandas e produtos baratos populares, é ao mesmo tempo um lugar que te convida, que te interessa que te mostra a face do povo, e a relação dele com o consumo e a sociedade como um todo.
Não quero ser Parnasianista nem Arcadista, subir na minha montanha e registrar o comportamento da sociedade, do povo, sem me envolver, mas devo admitir que aquele ônibus me deu uma capacidade nova: A de ser quase invisível! De poder me infiltrar nas entranhas daquele lugar sem ser notado, de registrar toda aquela cena sem a própria cena saber que está sendo registrada.
Estava num ônibus, em meio ao Largo de Osasco, e vi.
Uma velha, com seus 60 anos, bem alta em botas de couro negras, fumando um cigarro ao estilo anos 50, talvez a alma dela seja jovem ainda, talvez ela nem seja tão velha assim. Um aspirador de pó tem um formato inusitado, parece mesmo, um elmo medieval. Um homem-anúncio passa andando contra a multidão, com seu colete saturado de propagandas de "compro-ouro", telefones e outras coisas ilegíveis, ele não parecia muito bem. O chão estava molhado, e pela veredas do pavimento da calçada escorriam canais de agua enegrecida, provavelmente com alto teor de borracha e fuligem, dos sapatos e dos motores.
Uma moça bem tatuada, sua pele como se fosse móvel, anda com um cigarro no canto da boca, ela parece má, mas é lógico que não! Quase dá pra se ver um coração mole no peito dela. Existe uma nova moda, as pessoas estão usando roupas extremamente coloridas, e sem combinação, misturando vários estilos e isso me confunde muito. Às vezes eu penso que estamos momento de síntese, de tudo que já existiu, isso me leva a pensar que estamos no fim, vaga idéia.
Moças, muitas moças, como existem mulheres nesse país! Moças pseudo! pseudo-loiras, pseudo-lindas, pseudo-magras, pseudo-peles-perfeitas, pseudo-cabelos-lisos! São bonitas assim como são, são fora do padrão sim, mas não me importam os padrões.
Um outro ônibus estaciona ao lado, muitas pessoas pensativas; Em que pensariam aquelas pessoas? Será que elas estão tendo idéias como as minhas? Ou será que elas estão só pensando no(a) namorado(a), em contas, em um sonho ou conflito? Impossível, e a impossibilidade me traz a beleza da cena!. Eu noto então que o banco do meu lado é o único vazio, porque será? Penso muito nisso, não o fato de eu ser a causa de ele estar vazio, mas parece que tudo hoje estava de acordo, conspirando para que eu escrevesse isto. Ninguém me notou. Quase nunca olho para trás, e duas moças estão a conversar no ultimo banco, incrivelmente metalinguisticas! No ônibus só falam de ônibus, não sei como elas são, eu raramente olho para trás.
Extremamente incríveis e hilárias são as lojas desse lugar, dezenas de lojas de Lingerie e quase todos os modelos são com formas de peles de animas, oncinha, zebrinha, girafinha, tigrezinho, vaquinha até dálmata! Lotadas as lojas. Vendedores de raquetes elétricas devem ganhar muito dinheiro, raquetes mosquitocidas! será que ja estudam o impacto das raquetes de choque no ecossistema, todo mundo tem uma!.
Eu penso sobre a estética das coisas, e acho medíocre, ela deforma a forma original! Mas adoro a estética pois ela torna legível aquilo que somente o autor entende. Sou assim, meio contraditório e indeciso, escrevo do fim para o começo do caderno, só leio revistas do fim para o começo, sou meio assim, e faz muito calor! Deve ser uma fase, não a do calor, mas a minha.
Vejo novamente muitos cabelos lisos e pseudo-lisos, oque está em discussão não é a forma do cabelo! Eu gosto de cabelos lisos, e ja amei cachos também, a verdade é que agente nunca ama ,ou odeia, nada de vulgar assim. O amor e o ódio são bem mais nobres! Gostar de uma forma depende do momento e do contexto e é lógico, da dona do cabelo!
Meu ônibus saiu do Largo, agora eu estou na Av. Autonomistas, cara! Como existem caros aqui! Muitos deles. Vejo a coisa mais dessintonizada, que quebra o clima filosófico, é uma moça ou um moço fantasiado de Minnie Mouse. Meu tempo é curto. Acabou. Cheguei no meu destino: outro universo! Minha escola.

3 comentários:

kim disse...

puts essa reflexão foi muito profunda cara quase me afoguei uahsuhsaush
mas falando sério eu acho q muitos detalhes são perdidos por nossos olhos nesse mar de pessoas, objetos, imagens, etc assim vejo q o mundo está tão poluído q nem posso perceber os minimos detalhes q deixam a vida bonita como deveria ser mas nesse post vc detalha muitas coisas as quais nem damos valor ou seja vc pode ver a beleza do mundo, a beleza da vida

q disse...

cara tah super legal este texto...vc eh super "cool" cara quer ser meu amigo no recreio?

¤Riiiн disse...

Nossa, texto muito bem desenvolvido .Namoral , curti muito essa reflexão , .