sexta-feira, setembro 17

É a vida...

Não sei oque acontece algumas vezes, que agente fica meio estranho, meio deslocado da própria realidade. Agente vive em terceira pessoa, no piloto automático, e assiste o desastre animado que é a nossa vida, de camarote, povoada de rotinas, de hipocrisias, de incoerências, contradições, ironias, as malditas ironias, de falsidades e de hábitos estranhos e desagradáveis.
Um dia desses eu acordei assim, e disse: Foda-se, vou escrever em primeira pessoa mesmo! "Estou cansado do lirismo comedido e bem comportado" e me vem a à cabeça Manuel Bandeira.
Um dia desses eu acordei, mais irado ainda, e disse: Foda-se eu cansei de fazer uma sala eterna, pra pessoas que nem ligam se eu existo, ou se deixei de existir feriado passado.
Um dia desses eu fui obrigado a pôr goela a baixo, como se fosse uma religião, toda a teoria científica do sentido da vida, da química do carbono, da fragilidade do peito, do porém dos outros poréns, o porque o mundo é como é. Notei depois disso que nada pode ser perfeito, nada nunca foi, e nunca vai ser, e eu perfeccionista, entrei em crise eterna.
Eu vendo minha alma, que aliás não existe, pra quem me provar que existe uma coisa sublime! E que me mostre essa coisa, porque sinceramente, cansei de correr atrás do perfeito e de tentar ser perfeito, o aluno perfeito, o filho perfeito, o amigo perfeito, o idiota perfeito.
E isso já faz algum tempo.
O maior crime que se comete contra alguém, com certeza, é tirar a liberdade de tal, e eu sou uma vitima desse crime. Mas não estou me fazendo de vitima não, por mais vitima que eu seja, não sou ainda uma vitima indefesa, e segundo Sartre, se esse cara estiver certo e tomara que esteja, o criminoso da história sou eu mesmo.
Eu escolhi estar aqui, na situação que eu estou, e como dizem: A maior bênção é a IGNORÂNCIA.
Eu escolhi o caminho dos estudos, de saber das coisas, e a cada obra literária que termino, cada equação que eu resolvo, cada conceito que eu absorvo com sede, um pedaço da minha felicidade plena se perde, e matuta sem fim na minha cabeça: "As coisas tendem a se deslocar para o menor nível possível de energia." "Começamos a morrer, à partir do momento que nascemos." "Adolescência: Aquele amor, nem me fale." "Só sei que nada sei." "A globalização é perversa." dentre outras milhares de coisas assim.
A Suprema: "Antropo Zôon Politikón" me fere a Índole.
"Então Eva comeu do fruto proibido, da árvore das Ciências." foram expulsos do Paraíso.
Nada dá certo, é tudo um devaneio, eu me tiro a própria liberdade, eu me saboto, nós nos sabotamos!
"A Fase de Ouro da humanidade foi o estágio tribal, quando existia caça, pesca, agricultura e moradia para todos, todos eram ligados por um grau de parentesco, o homem parou de ser nômade e descansou na terra que então disse ser dele." Naquela mesma terra, hoje vemos Paris, Londres, São Paulo: a Bangladesh!
Ainda existem tribos auto sustentáveis, que vivem nesse estagio pleno de convivência e harmonia, de honestidade e generosidade, sem a pressão do acúmulo? Aponte o dedo na direção da tribo e eu aprendo até Tupi-Guarani.
"A matéria orgânica na poça primordial foi se esgotando, então os primeiros seres unicelulares foram abrigados a comerem uns aos outros, o maior ao menor, á partir deste momento, surge o primeiro carnívoro, o primeiro antropófago, o primeiro assassino, o primeiro oportunista, que deu origem à toda vida Animalia, inclusive à nós seres humanos".
É esse o sentido da vida animada! Se dar bem encima dos outros! Lógico, porque não? Vence o mais adaptado, o mais forte, o mais esperto! Vence quem dilacera e come crua a carne do outro mais fraco.
Encontrei! O sentido da vida é esse. Uma salva de palmas, é a vida.
Um sonho tantálico, um devaneio hediondo, uma fábula de Esopo, um Petit Gateau, é a vida.
Um amor de mentira, um arranhão pelo vil metal, uma morte por bala, arriba! É a vida!.
Um sopro no ouvido, um tapa na fonte, a migalha no chão, um banquete brilhante.
A Moral, sofre pela Ética, que morre pela Moral!
O Cançasso na forma de gente. E a Guilhotina no fim do túnel.
É sua vida...


4 comentários:

nois disse...

Aah, vai se ferrar Guaraldo...
Voc escreve muito bem...
Parabéns! Sério...

kim disse...

ow se um dia eu chegar a pensar como vc eu vou estar salvo eu penso em várias dessas coisas mas minha vida é uma mar q me afoga sempre q tento pensar assim,sabe mas vc cara,vc é um barco q me resgata dessa loucura d sempre estar procurando algo e estar atrás d uma coisa q todos almejam q é a felicidade. vc me compreende pq vc tem as mesmas dúvidas q eu a diferença é q vc tem as respostas

Carol Rhormens disse...

bru , o texto ta muiito bom de verdade :) muiito criativo e eu aqui sem criatividade nem pra escrever um comentario rsrsrs , te amo

Dii :) disse...

Oi! Como eu disse e vou repitir, eu amei os seus textos! Sinceramente estou apaixonada *-* Você escreve muito bem e deveria investir nisso! Pode ter certza que estarei sempre passando por aqui para ler os seus textos, tá?! Parabéns!